Como desidratar frutas no microondas, prático e rápido!

As frutas desidratadas ganham um sabor muito especial. Você pode usar da técnica de desidratar os alimentos para que sirvam de base para fazer pratos especiais para o jantar ou para a sobremesa.

Vamos conferir como fazer frutas desidratadas no micro-ondas?

O primeiro passo consiste em limpar muito bem a fruta que se quer desidratar e depois deixar secar bem. Logo em seguida, você deve retirar a casca da fruta, haja vista que a casca dificulta o processo de secagem, e caso a fruta tenha caroço ou sementes grandes deverá também retirá-los.

Após, corte a fruta em fatias pequenas, finas. É preciso destacar que quanto menor o tamanho, menor será o tempo de secagem e maior a qualidade da sua fruta. Se a fruta for pequena, como o caso da uva, não precisa cortar em fatias nem de retirar a casca, pois esta irá encolher durante o processo de desidratação.

Depois, prepare um suco de limão diluído em água. Para cada xícara de água, adicione uma colher de sopa de suco de limão. Mergulhe todas as frutas nesta solução de limão, para que se conservem por mais tempo e melhorem a sua cor.

Antes de colocar a fruta no micro-ondas, é melhor limpá-lo com detergente e água quente para que se remova qualquer resíduo de sujeira ou resto de alimento que possa haver. Seque-o com um pano e logo após distribua a fruta uniformemente pelo prato giratório, deixe um espaço entre uma fruta e outra.

Você deve programar o micro-ondas para o modo de descongelamento e com uma duração de cerca de 30 minutos. Ao longo do tempo, vá virando a fruta e verifique sempre se ainda está úmida, pois dependendo do tamanho da fatia cortada e do tipo da fruta poderá secar mais ou menos rápido.

Após a fruta secar, coloque-a numa caixa bem fechada e armazene-a na geladeira para consumir em até duas semanas.

No nordeste a desidratação de frutas gera renda para comunidades

Produtores de estados do Nordeste têm apostado na desidratação de frutas para combater o desperdício e aumentar a renda. A técnica tem permitido não somente a redução das perdas, que em alguns casos chegavam a 70% da produção, mas também a obtenção de valores até dez vezes maiores que os praticados para as frutas in natura. Orientados pelo Sebrae por meio de atendimentos diretos e capacitações para melhorar a gestão de seus negócios, os agricultores conseguiram com o sistema de secagem vencer o problema de transporte e perecibilidade das frutas, entrando, assim, em novas praças, como o grande mercado paulista.

Em 2011, o empresário Henrique Sá Lopes, da Lili Doces, no Piauí, viu na desidratação uma oportunidade de expandir a linha de produtos. Hoje, ele evita o desperdício com seis máquinas de desidratação, que geram 150 quilos de frutas secas por mês e um faturamento 10% maior. As vendas são realizadas para São Paulo, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão e Amazonas. A ideia surgiu durante uma feira de negócios que ocorre em São Paulo, a Piauí-Sampa, realizada pelo Sebrae. “Em conversas com o especialista Leonardo Chiapetta, vimos o potencial do mercado paulista”, conta o empresário Henrique Lopes.

Chiapetta é especialista em desidratação de frutas e já esteve em Teresina à convite do Sebrae para ensinar aos empresários locais a técnica que garante vida mais longa às espécies frutíferas sem prejudicar suas propriedades nutritivas.

Há quatro anos, 28 famílias que vivem no povoado de Vila Retiro, próximo a lhéus (BA), passaram a processar bananas, abacaxis, jenipapos, mangas, cupuaçus e outras frutas para evitar que 70% da colheita fossem para o lixo, por conta do tempo e das condições de transporte.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *